quinta-feira, 27 de janeiro de 2011

Discurso de orador proferido por mim na Colação de Grau da turma de Letras da Unip, do dia 25/01/2011 em Assis, intitulado: "Seres de Luz"

         Em primeiro lugar quero agradecer a Deus, que em sua infinita grandeza nos permitiu chegar até aqui. Nada seria possível sem o dom da vida e das capacidades a nós confiadas e bem aproveitadas por todos  até o devido momento.
         Agradecimento especial ao diretor desta instituição de ensino  Prº. Samir Saliba Murad, a Profª Drª. Roseli Gimenes coordenadora geral do curso de letras, a  Coordenadora do curso Profª. Drª Adriana Rennó, aos demais professores e professoras que nos agraciaram com suas experiências, vocês foram como anjos enviados por Deus para nos ajudar nesta caminhada, sem vocês nada disso seria possível,   e aos colaboradores e funcionários desta unidade da Unip em geral, muito obrigada.
         Aos nossos pais, irmãos, filhos, maridos e esposas, namorados e namoradas, familiares em geral, amigos e amigas que nos incentivaram durante esta caminhada, muito, muito obrigada mesmo, o que sentimos hoje é um profundo agradecimento, incapaz de ser traduzido em palavras dado a importância de seus cuidados, tolerância e lealdade durante esses três anos de curso, em que muitas vezes foram deixados de lado para que pudéssemos  nos dedicar a este objetivo. Mais que palavras, agradecemos a todos  neste conjunto de realizações, expressas hoje neste momento solene e de magnitude inconcebível para  cada um de nós....
         Quero agradecer aos meus colegas, pelo convite feito para que eu pudesse proferir o discurso e confesso a vocês, eu aceitei com imensa alegria, embora soubesse a  responsabilidade a mim confiada, muito obrigada....
         Nos últimos dias, fiquei a espreita de meus pensamentos e lembranças, para encontrar algo que me despertasse o fio da meada para este discurso, queria lembrar-me de algo grandioso que tivéssemos participado juntos e que desse o tom para esta mensagem. Confesso que sorri várias vezes sozinha ao lembrar-me de tantas façanhas, de tantas lágrimas, sentimentos inflamados, ora de angústia, ora de cansaço, ora de temor, ora de alegria.
         Durante três anos, fomos a sala “27”, a sala da turma de letras, a sala dos seres de luz da Unip e durante estes três anos construímos com nossos amados professores nossos próprios  “bordões”:
         “Jovens, vamos intervalar”
         “genteee O babado é fortíssimo”
         “ isso é baba pessoal,  é feijão com arroz”
         “Meus queridos,  vocês são seres de luz na minha vida”
         “Vamos brincar de vida, eu cuido da minha e você cuida da sua”

         “Gente, silêncio por favor, eu não tenho tanta abstração assim”

         “Absolutamente”
         “Baba, com glitter verde amores”
         “Usem aquela caneta, a palmeirense”
         “Não é um bicho de 7 cabeças amores, é de oito e meio”
         Como vai ser difícil, a separação. Éramos mais que docentes e discentes, éramos amigos, e confiávamos inteiramente uns nos outros.
         Tivemos muitos problemas também não é mesmo, mas hoje olhando para trás, nós não enxergamos mais problemas, e sim  momentos de construção e interação, e neste processo é mais do que compreensível e absolutamente  normal algumas  diferenças, senão não haveríamos construído nada.
         E isso, é o que devemos levar para toda a nossa vida profissional e também pessoal. Lembremos sempre de que fomos e somos 27 pessoas diferentes, de contextos diferentes, de cidades diferentes e nos demos a chance de nos conhecer, interagir e construir habitando o mesmo espaço, a sala de aula.
         Então, por mais que todos aí fora nos digam que é impossível dar aula nos dias de hoje, por mais que alguém tente nos desencorajar diante das salas e dos alunos que viermos a conhecer, nunca, ouçam bem, nunca devemos desistir. Nós sabemos que é possível construir, quando se está disposto, e quando existe confiança, trabalho, obstinação, perseverança e amor naquilo que propusermos fazer. É possível, nós sabemos, porque foi exatamente isto que nós fizemos, nós superamos nossas diferenças, e vencemos todas as dificuldades, como por exemplo: a distância que muitos de nós enfrentamos para chegar à faculdade todos os dias, as noites de frio extremo que nos deixavam encolhidos e também mais próximos uns dos outros, as madrugadas que adentramos estudando, foram momentos que exigiram nossas habilidade, dedicação e responsabilidade, mas vencemos e hoje estamos aqui para celebrar esta formatura, que é um momento único em nossas vidas. E eu tenho certeza, que  neste momento não há ninguém aqui presente que não esteja inundado por esse sentimento de realização e de amor. Sim, sentimento de amor, digo isto porque tenho absoluta certeza de que o amor é essencial para  tudo o que propusermos fazer daqui por diante em nossas vidas. Amigos, só o amor  é capaz de criar e  renovar todas as coisas. E somado a ele a nossa dedicação e aperfeiçoamento profissional, nós obteremos êxito.
         Meus queridos, nós somos os seres de luz, tão amavelmente assim denominados por nossa querida coordenadora, então façamos jus a esta denominação.
         Vamos levar luz as salas de aulas que por ventura formos lecionar. Vamos ser a diferença neste mundo tão descrente de valores morais, amor  e utopias. Ser a luz para tantos adolescentes e jovens carentes de modelos a seguir. Temos esta responsabilidade. Não estamos prontos, mas com certeza estamos preparados, porque foi isso que fizemos até aqui, nos preparamos para esta nova caminhada, e vamos continuar a aprender a ensinar e também a ensinar a aprender. Sei que talvez o medo e a insegurança possam vir  bater em nossa porta, já que estaremos distantes uns dos outros, no entanto nunca estaremos sozinhos, porque eu sei que Deus se fará presente em  todos os dias de nossas vidas.
         E Para terminar este momento a mim concedido  declamarei um lindo poema de  Antoine de Saint Exupéry, o grande autor da obra “O pequeno Príncipe”, intitulado:        
         ACASO

"Cada um que passa em nossa vida,
passa sozinho, pois cada pessoa é única
e nenhuma substitui outra.
Cada um que passa em nossa vida,
passa sozinho, mas não vai só
nem nos deixa sós.
Leva um pouco de nós mesmos,
deixa um pouco de si mesmo.
Há os que levam muito,
mas há os que não levam nada.
Essa é a maior responsabilidade de nossa vida,
e a prova de que duas almas
não se encontram ao acaso. "

Felicidades para todos nós, porque hoje somos mais que vencedores...

2 comentários:

  1. Sem dúvidas este foi um dos dias mais importantes de minha vida, a prova única de que com esforço e fé conseguimos conquistar nossos sonhos. Valeu a pena, estou muito realizada.

    ResponderExcluir
  2. COM CERTEZA SILVINHA.....NÓS QUE VIVEMOS E SENTIMOS NA PELE TD ISSO QUE FOI ESCRITO SABEMOS O QUANTO ESTAMOS REALIZADOS E FELIZES POR ESTA VITÓRIA....SEM FALAR QUE SEU DISCURSO FOI PERFEITO....NÃO TERIAMOS ESCOLHIDO MELHOR....
    BEIJOS...
    MUITAS SAUDADES...

    ResponderExcluir